Identificando periféricos USB conectados ao Macbook Pro com OS X El Captain

Como identificar os periféricos ligados nas portas usb do Macbook com OS X El Captain instalado ? Pensei logo no lsusb existente no linux mas pesquisando rapidamente existe um comando especifico para isso no Mac :

$ ioreg -p IOUSB
+-o Root  
  +-o Root Hub Simulation Simulation@14000000  
    +-o Apple Internal Keyboard / Trackpad@14400000  
    +-o BRCM20702 Hub@14300000  
    | +-o Bluetooth USB Host Controller@14330000  
    +-o CP2102 USB to UART Bridge Controller@14200000  

Assim, consegui identificar o CP2102 , conversor de usb<->serial TTL e procurar o driver correto.

Se quiser mais informações sobre os periféricos USB ( muito mais informação …)  ,use o comando :


$ ioreg -p IOUSB -w0 -l

Divirta-se !

eLua : Lua for a embedded world

Overview

eLua é a versão da linguagem Lua desenvolvida para ser utilizada embarcada em microcontroladores de 32 bits. A linguagem Lua foi desenvolvida pela PUC/RJ com o objetivo de ser uma linguagem de simples utilização, fracamente tipada e ser de fácil aprendizado. Desde o inicio foi projetada com o objetivo de ser utilizada em ambientes sujeitos a mudanças constantes , na linha trocar turbinas em pleno voo. A linguagem pode ser utilizada embarcada em uma outra linguagem , mais comumente C , onde todas as partes principais são escritas em C e o que muda com frequência é  escrito em Lua , podendo ser carregado em tempo de execução. Muitos projetos e aplicações fizeram uso destas facilidades proporcionadas pela linguagem mas foi no mundo dos games que ela tornou-se mais visível e conhecida. Este sucesso deveu-se a muitos jogos terem incluído Lua como a linguagem para a escrita das fases , permitindo a partir de um mesmo engine de games , adicionar novos ambientes e dificuldades a medida que as novas fases fossem atingidas. Lua é utilizada em muitos contextos tais como servidores web, tratamento de imagens , automação de atividades , jogos para celulares , etc etc.

Origem

A Linguagem Lua foi desenvolvida por uma equipe da PUC/TECGraf com o objetivo inicial de ser usada em projetos da Petrobras . Desta equipe faziam parte Roberto Ierusalimschy ,Luiz Henrique de Figueiredo e Waldemar Celes. A linguagem rapidamente passou a contar com uma serie de melhoramentos e ampliações que a tornaram um linguagem de uso geral e fazendo inclusive da infraestrutura do projeto da TV Digital Brasileira.

eLua

A linguagem eLua é uma convergência de dois projetos assemelhados que visavam trazer a linguagem lua para o ambiente dos microcontroladores. Os projetos de Bogdan Marinescu e Dado Sutter ( OHMS , PUC/RJ )  , para portar a linguagem Lua para microcontroladores , existiam independemente e resolveram integrar os esforços, fontes e experiência acumulada para criar um ambiente unico de desenvolvimento. Após esta integração foram iniciados os esforços para portar a linguagem para outros microcontroladores e outras arquiteturas. Atualmente (2015) é possivel executar  eLua em diversos microcontroladores com diferentes graus de acesso aos periféricos internos

Hoje, a principal referencia sobre eLua é a pagina do projeto em http://wiki.eluaproject.net/  . Existe tambem o site eLua builder ,http://builder.eluaproject.net/  , onde está disponível uma plataforma online para a gerar o binário para diversos microcontroladores e kits de desenvolvimento.

Porque falar disso ? Lua está sendo usada para criar mini-aplicações nos módulos Wi-Fi de baixo custo , baseados nos SoCs esp8266 da Expressif  , mas isso é conversa para o próximo post do BlogDoJe.

Referencias :

Lua na Wikipedia

Página do OHMS no Facebook

OHMS – Our Home Maker Space

 

 

Iniciando no mundo AVR

Hoje em dia (2015) , quando se fala de AVR e ATMEGA , muitos hackers e makers lembram logo de Arduino e suas variações. Mas os produtos da linha AVR da Atmel são usados de muitas outras formas,  são extremamente versáteis e possuem diversos encapsulamentos com variações nos periféricos internos. Uma característica muito interessante é que o mesmo código C criado para um dos chips da arquitetura pode ser migrado muito facilmente para os chips maiores da mesma linha com muito poucas mudanças .

Para facilitar o aprendizado  , A Atmel disponibilizou em seu canal do youtube, uma série de videos explicando os diversos aspectos da arquitetura , o uso do datasheet e como utilizar as ferramentas oficiais de desenvolvimento, principalmente a IDE Atmel Studio 6 que é gratuita e baseada em GCC  e no Visual Studio da Microsoft.

Algumas coisas explicadas são específicas para placas de desenvolvimento da Atmel mas podem ser extrapoladas para testar no seu Arduino ou mesmo no seu protoboard.

Divirta-se !

Referencias :

Atmel Studio : http://www.atmel.com/tools/atmelstudio.aspx?tab=overview

Playlist Getting Started with AVR no youtube:  http://bit.ly/GettingStartedwithAVR

Vem ai uma Launchpad ARM da Texas

A Texas Instruments irá lançar , no dia 25 de setembro de 2012 , uma nova versão do kit de desenvolvimento Launchpad só que desta vez no lugar do MSP430 teremos um ARM. Será um controlador ARM da linha Stellaris , provavelmente Cortex M4 e o kit custará US$ 4.99 .

Informações iniciais trazem as seguintes caracteristicas :

CPU 80 MHz
PWM 12
ADC Channels 12
ADC Resolution 12 Bits
RAM 64 KB
FLASH 256 KB
TIMERS 12 32-Bit Timers
UART 8
I2C 4
SPI 4
QEP 2
USB Yes OTG
CAN Yes
RTC Yes

No link http://www.ti.com/ww/en/launchpad_site/stellaris.html?DCMP=stellaris-launchpad&HQS=stellaris-launchpad-b , voce pode reservar a sua Launchpad Stellaris e concorrer a uma das 25 plaquinhas grátis para que quem se inscrever na pre-order.

Boa sorte !!

CrossPack for AVR® Development

Para quem está procurando um ambiente de desenvolvimento em C/C++ para AVR no Mac , o Crosspack for AVR é uma boa opção gratuita.

O Crosspack for AVR vem com todos os programas necessários para compilar e gravar a memoria flash do microcontrolador, na linha do finado WinAVr. Voce pode fazer tudo via linha de comando ou pode usa-lo integrado ao XCode, o ambiente de desenvolvimento oficial do Mac OSX. O pacote tem tido atualizações anuais e a ultima é de fevereiro de 2012. O pacote possibilita a geração de código executável para todos os tipos de AVR 8 bits incluindo os XMega.

Uma funcionalidade interessante é o comando “avr-project”  , usado para gerar um template de projeto , contendo um arquivo main.c , um Makefile inicial e as definições de um projeto Xcode. O Makefile gerado é bem completo ,  contendo o necessário para a geraçao do código hex e bem comentado, com as opções de modificação.

Para quem está no Mac e não está querendo instalar uma maquina virtual windows só para rodar o AVR Studio 5 ou 6 ( MS Visual Studio for AVR) , o Crosspack for AVR é uma opção muito interessante.

Link:

CrossPack for AVR : http://www.obdev.at/products/crosspack/index.html

Atmel AVR Studio 5

A Atmel (fabricante do AVR32 e do ATMega8/168/328 usado no Arduino) liberou ontem , 01 de março de 2011 , a versão beta 2 do seu studio integrado de desenvolvimento de aplicações, AVR Studio. A nova versão traz muitas novidades , entre elas a integração na mesma ferramenta do desenvolvimento para os AVRs de 8 bits e 32 bits,  a integração do compilador baseado em GNU C/C++ Compiler, simulador e bibliotecas prontas para acesso aos recursos dos microcontroladores. O AVR Studio 5 disponibiliza integração com os diversos programadores existentes para a familia AVR.

Em conjunto com o Atmel AVR Studio 5,  A Atmel está fornecendo o AVR Software Framework, um conjunto de bibliotecas de códigos fonte para os AVR de 8 e 32 bits , com aproximadamente 400 exemplos de utilização dos periféricos internos dos microcontroladores e de componentes externos ligados a eles. Este framework visa acelerar o desenvolvimento de aplicações e dispositivos baseados nos AVR.

Até o momento não existe menção a este ambiente vir a ser vendido e deverá manter a tradição da Atmel de fornecer boas ferramentas de desenvolvimento gratuitas. O arquivo de instalação do software tem tamanho de 548 Mbytes, ocupa aproximadamente 1,5 Gbyte depois de instalado e ontem no dia de lançamento levou 4 horas para descer, em um link de 10 MBps.

A nota destoante é que a ferramenta só foi lançada na versão Windows (ela é dependente do .NET Framework e do Visual Studio Isolated Shell), esquecendo os usuários Mac e Linux, que terão de apelar para o VirtualBox , VMWare e outros para usar o ambiente.

Vamos aproveitar o carnaval ( até parece !!!) vendo o que realmente funciona nesta versão beta.

Links:

Anuncio da versão 5 do Atmel AVR Studio 5

Pagina para download do Atmel AVR Studio 5

Atmel Store

A Atmel lançou recentemente a Atmel Store, uma loja na internet dedicada as suas ferramentas de desenvolvimento e depuração para os produtos fabricados por ela. O site tem as seguintes categorias de produtos a venda : Starter kits, Debuggers, Programmers, Touch kits, Wireless kits, Evaluation kits, Reference designs, Spare parts & Accessories.

Estão disponiveis para venda , por exemplo, o STK-500 por US$ 79,00 e o STK-600 por US$ 199,00 na categoria Starter Kits e o Atmel AVR RZ Raven por US$ 119,00 na categoria Wireless Kits. O AVR RZ Raven permite o desenvolvimento e depuração de aplicações wireless com os protocolos EEE 802.15.4, 6LoWPAN e ZigBee.

Para comprar na loja é necessário preencher um cadastro com dados pessoais e não é obrigatório estar associado a nenhuma empresa. O frete minimo para o Brasil está fixado em US$ 41,00 ( dolares americanos). Não existem informações sobre a possivel venda de componentes através do site.

Links:

Atmel Store

Arduino Shield List

Foi criada uma iniciativa interessante : a Arduino Shield List. O site Shieldlist.org catalogou dados de todas extensões (shields) conhecidas para o Arduino e as reuniu em uma base para consulta. No lado direito da pagina principal, estão listados os fabricantes e quantidade de shields que criaram. Ao clicar no link do fabricante são listados os shields fabricados e finalmente clicando no link do shield, vemos a foto da placa e a informação de quais pinos são utilizados pelo shield.

O trabalho é muito bom. Ainda não está completo ( e talvez nunca esteja …) mas já dá para ser usado como referencia. O criador aceita sugestões de novos shields para serem adicionados a base de dados. Faltam alguns melhoramentos , principalmente uma função de busca.

Link:

Arduino Shield List

Vem ai novidade no Arduino

O site do Arduino está anunciando que vem novidade por ai. Substituiu a foto da versão serial que estava lá há muito tempo, por uma foto onde avisa que algo está sendo preparado (“We are cooking something new for you”). Meu chute é um novo hardware baseado em um ATMEGA mais parrudo ou um ARM de baixo custo, criando uma versão ARMduino oficial. Pesando a favor de um ATMEGA mais parrudo é a adição de suporte ao ATmega2560 na release r1088 da IDE que foi liberada ontem. Este é um super ATmega com 256KB self-programming Flash Program Memory, 8KB SRAM, 4096 Bytes EEPROM, 16 canais de 10-bits para conversão A/D e  JTAG interface para on-chip-debug.

Talvez não seja nada disso, seja só uma repaginada no site, quem sabe. Não percam os próximos movimentos em arduino.cc

Links:

Pagina do ATmega2560 na ATMEL

Trailler do documentário sobre o Arduino

O Laboral Centro de Arte da Espanha está patrocinando a criação de um documentário sobre o Arduino. O trailler abaixo mostra algumas das cenas do documentário, filmadas durante a reunião “Arduino Uno”. Esta reunião aconteceu em Nova York em março deste ano e teve como objetivo dar continuidade a discussão das etapas necessárias para o lançamento da versão 1.0 do Arduino .

O documentário será liberado sob a Creative Commons e poderá ser usado em apresentações, aulas e cursos sem nenhuma restrição.

TRAILER Arduino: The Documentary from gnd on Vimeo.

Links:

Arduino, The Documentary