C.H.I.P. – Micro CPU Debian para o mundo IoT

 

IMG_20160701_131250

Chegaram os módulos C.H.I.P. que comprei na campanha do Kickstater no ano passado. A promessa do computador de US$ 9,00 não se cumpre totalmente devido ao frete de US$ 20,00 e principalmente ao imposto de 60% sobre o valor + frete na hora que chega ao Brasil mas mesmo assim é um marco na diminuição dos preços para os tiny computers. O C.H.I.P é muito interessante pelo tamanho, configuração  e possibilidades de utilização , já que já possui WiFi e Bluetooth 4.0 no seu hardware básico.

 

IMG_20160702_062359210

 

A impressão inicial é de uma construção muito bem cuidada com detalhes como a capa de plástico para a parte da solda da plaquinha:

 

IMG_20160702_062410700

 

 

Outro detalhe que demonstra a atenção com os makers e hackers é a colocação da descrição das funções dos pinos de I/O nos conectores do C.H.I.P:

 

IMG_20160702_062447816

 

O C.H.I.P. vem com um cabo com saidas para o audio e video composto para monitores analógicos:

 

IMG_20160702_062321352

 

Adicionei ao meu pedido uma placa de interface ( DIP ) para conexão a um monitor HDMI:

 

IMG_20160702_062802299

 

Agora é atualizar o sistema operacional com a versão mais atualizada, começar a experimentar o funcionamento do C.H.I.P. e postar por aqui algumas das experiências.

Referências:

Site do fabricante e loja : https://getchip.com/

Documentação para os iniciantes: http://docs.getchip.com/chip.html

 

Instalando Oracle Java 8 na Beaglebone Black – IoT Episódio 1

Java é uma unanimidade. Ponto.  Então é necessário conhecer e instalar o Java JDK para poder utilizar alguns softwares interessantes na expedição pela Internet da Coisas. Neste post iremos instalar o Java Development Kit na Beaglebone Black.  A Beaglebone Black, vulgo BBB , é um computador ARM de baixo custo , totalmente open-source no hardware e no software que tem uma performance bastante interessante para o seu tamanho e faixa de preço no exterior.

Para começar vamos  na página da oracle  em http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index.html e clique no botão “JDK DOWNLOAD”

botaoJdk

Na próxima página que se abre , marque a opção “Accept License Agreement”  e clique no nome do arquivo para iniciar o download da versão do Java para ARM “Linux ARM 32 Hard Float ABI” . Em junho de 2016, o arquivo disponível é o jdk-8u91-linux-arm32-vfp-hflt.tar.gz.

telaDownloadOracle

Se tiver feito o download em outro computador , faça a transferencia para a BBB por rsync , ftp ou rcp.

Após a transferencia para a BBB , vá para o diretório para onde o arquivo foi transferido e execute os seguintes comandos :

$ sudo mkdir /opt/jdk
$ sudo tar -zxf jdk-8u91-linux-arm-vfp-hflt.tar.gz -C /opt/jdk
$ sudo update-alternatives --install /usr/bin/java java  /opt/jdk/jdk1.8.0_91/bin/java 100
$ sudo update-alternatives --install /usr/bin/javac javac /opt/jdk/jdk1.8.0_91/bin/javac 100

Ao final da execução dos comandos , verifique se está ok :

$ java -version
java version "1.8.0_91"
Java(TM) SE Runtime Environment (build 1.8.0_91-b14)
Java HotSpot(TM) Client VM (build 25.91-b14, mixed mode)

Pronto , sua BBB está pronta para compilar e executar programas em Java.

Divirta-se !

Referencias:

Download Oracle Java para Arm:
http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/jdk8-downloads-2133151.html

Beaglebone Black: https://beagleboard.org/black

IoT - Internet of Things , Internet das Coisas:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Internet_das_Coisas

Vem ai uma Launchpad ARM da Texas

A Texas Instruments irá lançar , no dia 25 de setembro de 2012 , uma nova versão do kit de desenvolvimento Launchpad só que desta vez no lugar do MSP430 teremos um ARM. Será um controlador ARM da linha Stellaris , provavelmente Cortex M4 e o kit custará US$ 4.99 .

Informações iniciais trazem as seguintes caracteristicas :

CPU 80 MHz
PWM 12
ADC Channels 12
ADC Resolution 12 Bits
RAM 64 KB
FLASH 256 KB
TIMERS 12 32-Bit Timers
UART 8
I2C 4
SPI 4
QEP 2
USB Yes OTG
CAN Yes
RTC Yes

No link http://www.ti.com/ww/en/launchpad_site/stellaris.html?DCMP=stellaris-launchpad&HQS=stellaris-launchpad-b , voce pode reservar a sua Launchpad Stellaris e concorrer a uma das 25 plaquinhas grátis para que quem se inscrever na pre-order.

Boa sorte !!

The Heart of Cortex

A NXP e a distribuidora alemã EBV Elektronik, estão patrocinando um concurso de projetos baseados em controladores ARM-Cortex. Para os participantes estão sendo oferecidos kits grátis contendo uma amostra de um chip Cortex-M0, um LPCXpresso LPC1114 e mais alguns componentes para avaliação.  Inscreva o seu projeto e concorra a uma bicicleta elétrica e cupons de desconto para produtos da Apple.

Boa Sorte !!

Link:

NXP & EBV: The Heart of Cortex : http://www.ebv.com/index.php?id=1479

Posts Relacionados:

Embedded, I’m Bad , mBed

Hardware Livre no Flisol 2011 Rio de Janeiro

l

No próximo dia 9 de abril vai acontecer na UNIRIO – URCA a edição carioca do maior evento de divulgação de software livre da América Latina: o FLISOL (Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre). O FLISOL2011 RJ é organizado pelo SoftwareLivre-RJ.org, trazendo voluntários para realizar instalações de Software Livre nos computadores dos visitantes do FLISOL2011. A participação no FLISOL2011 é totalmente gratuita e aberta à comunidade.

As comunidades de Hardware Livre do Rio de Janeiro, ArduInRio e BeagleBoardInRio estarão presentes com workshops e palestras. Destaques para a palestra sobre Arduino, apresentada pelo Alvaro “Turicas” Justen de (08:00 as 09:00 na sala A) e o Workshop de Arduino a ser realizado pelo pessoal do ArduInRio .

Não Percam !!

Link:

FLISOL 2011 Rio de Janeiro

Embedded, I’m Bad , mBed

  • Overview

O mBed  é um kit de desenvolvimento que fornece uma plataforma de prototipagem baseada na arquitetura ARM CORTEX-M3. Este kit possui um conjunto de características únicas que tem como objetivo final torna-lo muito fácil de usar. Simon Ford e outros engenheiros da ARM Holdings, iniciaram o projeto mBed de forma voluntária , com o objetivo de diminuir a curva de aprendizagem para o desenvolvimento de projetos usando a arquitetura ARM. Inicialmente foi utilizado o controlador LPC2368 da NXP mas a versão final do projeto do mBed é baseada no LPC 1768. Este chip por si só já é um microcontrolador poderoso e em torno dele foram colocadas algumas características muito interessantes, tais como a área de armazenamento, para a gravação de arquivos via USB e um chip PHY que implementa a camada física da interface ethernet.

  • Hardware

O mBed é baseado no LPC1768 , controlador da NXP  com núcleo ARM CORTEX-M3. Possui 3 interfaces seriais , interfaces CAN , SPI , I2C , Ethernet, clock de 96MHz,  512Kb de flash e 64Kb de ram. O conjunto está montado em formato DIP de 40 pinos , facilitando a sua inserção em protoboards.  O mBed pode ser alimentado pela porta USB ou pelos pinos específicos, com uma tensão de 4,5 ate 9 volts. Os pinos, quando configurados para I/O suportam sinais de 3.3 volts, capacidade de 40 mA, 400 mA no total para o controlador.

Ao ligar-se o mBed na interface usb do seu computador, ele se apresenta como um pen-drive de capacidade 2 Mbytes. Essa característica é uma das mais interessantes neste kit: a habilidade de se gravar um novo programa na flash do mBed pela simples cópia da nova versão do seu executável neste driver. Na sequência do boot do mBed, ele verificará qual é o arquivo com o a extensão BIN mais recente, presente neste pen-drive emulado, fará a carga na flash e começará a executa-lo.

  • Software

Esta é parte mais interessante e controversa do mBed: o ambiente de desenvolvimento é nas “nuvens” ! Não é por causa do preço do ambiente de desenvolvimento que eles está nas nuvens ou pensando melhor , é por causa exatamente do preço que ele está nas nuvens. Explicando , para poder disponibilizar uma plataforma de desenvolvimento de qualidade a baixo custo de distribuição e com facilidade de utilização , o projeto mBed optou por disponibilizar uma IDE via web, hospedada em servidores configurados em cloud-computing. Este ambiente é acessível através da url http://mbed.org e nele encontramos a opção “compiler”.

Esta opção abre uma ambiente de desenvolvimento tendo do lado esquerdo uma tela de edição de programa e do lado direito, uma arvore de projetos, contendo os projetos já construídos ou em desenvolvimento. Os programas são escritos neste ambiente usando C/C++, compilados e caso não tenham erros de sintaxe, são imediatamente linkados. Ao final, o seu browser abrirá um message box indicando que um arquivo está pronto para ser baixado. Este arquivo é o produto da final da compilação , com extensão BIN e voce deverá indicar a unidade de disco ou diretório, que o seu sistema operacional associou ao pen-drive que corresponde  ao mBed . Após fazer este download no mBed , basta apenas apertar o botão de reset e o mBed irá executar seu código. Muito fácil ! Com estas características , este se torna o kit com a largada de desenvolvimento do “hello world” mais rápida que já vi: em cinco minutos voce terá o seu LED azul piscando. O site mbed.org ainda disponibiliza para os usuários o HANDBOOK, contendo as referências de todas as funções da api mbed e a explicação de como usa-las para acessar o hardware do mbed. O mbed.org também disponibiliza o COOKBOOK, contendo uma série de receitas básicas para criar um webserver , como conectar em um banco de dados mysql , como usar o pwm, etc. Com essa ajuda,  voce sai do zero muito rápidamente na utilização deste ambiente de desenvolvimento

O lado controverso deste ambiente é que tudo isso só é possível se voce tiver internet , se ela for banda larga e principalmente se o mbed.org estiver online. Eu venho testando o mBed desde o final do ano passado e no dia 5 fevereiro de 2011, o site estava fora do ar para manutenção. Como não iria afetar as experiências que estava fazendo, a manutenção do site não me preocupou. Agora se voce está completando um protótipo de algum novo produto ou está na reta final do seu projeto para o TCC,  então a coisa pega e voce vai ficar p… da vida pela escolha que fez.  Mas nada tema , porque existe solução para este problema, não perca o proximo post.

  • Ecossistema, Rede Social , etc

Em tempos de facebook, twitter e compras coletivas, tudo que se cria atualmente na web, tem que ter um viés socialmente colaborativo, uma comunidade , vamos nos ajudar, vamos divulgar etc e tal. Assim o mbed.org resolveu surfar esta onda e juntou o compilador a um ambiente onde os usuários podem publicar seus perfis , gostos pessoais e principalmente compartilhar projetos, partes de códigos , bookmarks para referencias no handbook e no cookbook. Este ambiente social inclusive, incorporou recentemente uma geo-localização dos usuários. Se voce preencher no seu perfil qual é sua localização no planeta Terra, então uma interface, baseada no google maps, irá exibir onde voce está e onde estão os outros usuários . Com esta interface eu vi que no Brasil já tem uma boa quantidade de usuários e posso saber quem são e entrar em contato com eles se eu quiser.

  • Aplicações

O principal objetivo do mBed é o desenvolvimento rápido de protótipos baseados no LPC1768. Ele facilita muito a criação de código executável, através das apis da biblioteca do mbed e muito rápidamente voce pode testar os conceitos do seu produto antes de construir a sua versão final . Para o hobbysta, é a oportunidade de desenvolver utilizando um controlador muito poderoso e rápido,  com interfaces já integradas, com mais de 20 pinos de GPIO disponíveis para construir qualquer dispositivos. A adição destas interfaces em outros kits, os tornariam muito mais caros que os US$ 59,00 do mBed. Com estas funcionalidades, é possível utiliza-lo em robótica , automação residencial, UAVs, gadgets piscadores de leds de diversos tipos , dispositivos controlados ou monitorados via internet e uma multidão de aplicações onde a velocidade e variedade de interfaces é importante ou um diferencial.

  • Conclusões

O mBed é do k7 ou é uma furada ?  Eu acho que é uma mudança de paradigma interessante, causada pelo uso do compilador nas nuvens. Nada é instalado no seu desktop, nada tem que ser configurado e nenhum manual tem que ser lido para começar a usar o ambiente de desenvolvimento, por outro lado se o site estiver offline, voce dança . Mas é possivel criar o seu próprio ambiente de desenvolvimento baseado no GCC e compilar os seus programas no seu próprio computador. Mas tem um pulo do gato , voce perde a biblioteca mbed, que proporciona um acesso muito completo ao hardware do mBed e permite que se concentre na criação da aplicação . A biblioteca até este momento é proprietária mas existem sinais que venha a ser aberta no futuro.

De qualquer forma é um excelente produto e recomendo a quem tiver a possibilidade, que o compre e experimente , é realmente viciante ver este kit funcionando. Eu tenho um e recomendo.

  • Referências

http://mbed.org

Onde comprar o mBed

Arquitetura ARM na Wikipedia

Site da Empresa ARM Holdings

Grupo mbed-br para discussão do kit

Vem ai novidade no Arduino

O site do Arduino está anunciando que vem novidade por ai. Substituiu a foto da versão serial que estava lá há muito tempo, por uma foto onde avisa que algo está sendo preparado (“We are cooking something new for you”). Meu chute é um novo hardware baseado em um ATMEGA mais parrudo ou um ARM de baixo custo, criando uma versão ARMduino oficial. Pesando a favor de um ATMEGA mais parrudo é a adição de suporte ao ATmega2560 na release r1088 da IDE que foi liberada ontem. Este é um super ATmega com 256KB self-programming Flash Program Memory, 8KB SRAM, 4096 Bytes EEPROM, 16 canais de 10-bits para conversão A/D e  JTAG interface para on-chip-debug.

Talvez não seja nada disso, seja só uma repaginada no site, quem sabe. Não percam os próximos movimentos em arduino.cc

Links:

Pagina do ATmega2560 na ATMEL

Beagleboard do Je ganha proteção de acrílico

Eu quase destruí a minha Beagleboard !

Deixei uma chave de fenda cair em cima da mesa e por pouco não acertei a coitadinha bem no meio. Por causa disso resolvi fazer uma proteção para ela. Não ficou tão legal quanto a do Tiago Maluta mas vai dar pro gasto. A proteção foi feita com dois pedaços de acrilico que iam ser jogados fora, um branco e outro transparente , 4 parafusos e 12 porcas. As placas foram cortadas nas dimensões de 3 x 3,1 polegadas e furadas nas mesmas posições dos furos da Beagleboard. Após aparafusar tudo, o conjunto ficou bem rigido e protege a Beagleboard pelos dois lados. A “inspiração” para este arranjo veio de um post no blog Becoming Cyborg onde uma Beagleboard é usada como um computador “vestível” ( wearable computer). No post foi colocada a proteção só na parte de cima da Beagleboard, mas eu resolvi colocar do outro lado tambem,  para poder coloca-la em mesas metálicas sem susto .

Acrylic protetion for beagleboard

Links:

Tiago Maluta – Prototipo de caixa para Beagleboard
Becoming Cyborg – CD Case for Beagleboard

Posts Relacionados:
Beagleboard
Beagleboard XM
BlogdoJe leva Arduino e Beagleboard ao FLISOL-DF 2010
Chegou a Beagleboard do Je
Tem Beagleboard a venda na Digikey

Beaglecoaster, proteção para a sua Beagleboard

Beaglecoaster revision 17, originally uploaded by koenkooi.

O usuário do flickr “koenkooi” , desenvolveu esta proteção para a Beagleboard após ter dado curto em duas placas. A placa não oferece proteção total para a placa mas garante que ela não encoste na mesa e protege as laterais e seus conectores.
O projeto é open-source e pode ser construido utilizando uma impressora 3D. O projeto está no repositório ThingVerse

Pesquisa sobre Profissionais da Area de Sistemas Embarcados

O Diego Sueiro, do Portal Embarcados ( www.embarcados.com.br), está realizando uma pesquisa sobre os profissionais da área de sistemas embarcados. Para participar é só preencher um questionário disponivel em http://tinyurl.com/2a97dmp. Voce irá gastar uns 15 minutos preenchendo e para aqueles que se identificarem no questionário, haverá o sorteio da plataforma de desenvolvimento da foto acima, baseada em processador ARM de 400 MHz da Samsung e tela de LCD com touch-screen.

Participem e boa sorte !!!